Pular para o conteúdo principal

Postagens

Série YBYMARÃ

YBYMARÃ - A CIDADE DO OUTRO LADOCapítulo 2 - PetúniasOs três veículos – o sedan policial, a van dos pesquisadores e o carro da família – avançavam pela rodovia. Uma cidade des-pontava à frente, identificada por uma estilosa placa onde se lia “Seja bem-vindo a Ybymarã”. Algumas casas invulgares podiam ser vistas ao lado da pista, agora bem iluminada por potentes lâmpadas instaladas no alto de discretos e elegantes mastros. Tudo era construído com extremo esmero. Havia árvores com canteiros de flores extremamente bem cuidados nos calçamentos dos dois lados da rua. Petúnias estavam plantadas em destaque em um tipo de elevação nos canteiros. A pavimentação era tão perfeita que os veículos passavam praticamente sem trepidar. Não havia lombadas. O lugar parecia ser bastante tranquilo e era muito limpo. Não era a parte densa da cidade, mas seus arredores. Mesmo assim, vários transeuntes podiam ser vistos. Muitos – homens e mulheres – usavam uma espécie de casaco que os protegia do frio; outr…
Postagens recentes

Série YBYMARÃ

YBYMARÃ - A CIDADE DO OUTRO LADO
Capítulo 1  -  A bolha

A noite estava escura. Não havia luar, apenas pálidas estrelas pairavam graciosamente no céu enegrecido. Uma longa estrada desaparecia na paisagem onde imperava vegetação rasteira. Algumas árvores pontuavam aqui e ali ao longo da mesma, quase invisíveis devido à parca iluminação. Balançavam delicadamente em resposta ao gélido vento do inverno, o que provocava um fraco ruído semelhante a um uivo rouco e sombrio. Ao longe surgiu um par de luzes tênues e difusas, que trepidavam e, por vezes, desapareciam para reaparecer logo em seguida. Eram os faróis de um carro. Dentro do veículo havia quatro pessoas. Uma mulher ao volante com seu marido sonolento ao lado. No banco de trás, à direita, um rapaz distraído teclava em um celular. Ao seu lado uma menina observava a paisagem escura com olhar distante. Estava segurando seu bichinho de pelúcia favorito, uma incomum girafa. Seus cabelos morenos eram iguais aos da mãe. Bem à frente, no sentid…